Type Here to Get Search Results !

Player Web Rádio Falando Francamente

Ibi Terra Santa
Câmara Municipal de Ibicaraí Ibi Terra Santa

IMAGENS

Após chuvas, racionamento de mais de um ano chega ao fim em Itabuna

Por conta das chuvas, o presidente da Empresa Municipal de Água e Saneamento (Emasa) de Itabuna, Jader Guedes, anunciou o fim do racionamento de água no município do sul do estado. A regulação no fornecimento começou há um ano e os moradores só estavam recebendo água a cada 20 dias.
De acordo com a Emasa, a medida foi possível graças ao registro de 150 milímetros de água nesta semana. Jader Guedes descartou a possibilidade de um novo racionamento nos próximos 60 dias, mas pediu que a população continue racionalizando o uso da água, já que a cidade não dispõe de reservatório de água.
O presidente da Emasa destacou que as chuvas chegaram em um momento crítico, já que a captação havia caído para apenas 350 litros por segundo na Estação de Rio do Braço e a captação de Nova Ferradas havia sido paralisada.
Com as chuvas, a captação foi ampliada para 650 litros, o que vai permitir regularizar o racionamento. A Emasa destaca que ainda podem ocorrer problemas pontuais em área de relevo acidentado.
Segundo Jader Guedes, em função das chuvas o aumento do volume de água em Rio do Braço permitiu aumentar a captação para 550 litros por segundo. Em Nova Ferradas, a captação foi retomada e deverá ser ampliada nos próximos dias. O volume captado em Nova Ferradas permite abastecer a região oeste de Itabuna, que abrange os bairros de Ferradas, Nova Ferradas, Sinval Palmeira, Urbis 04 e Rua de Palha.
O problema de Itabuna é que a cidade tem 220 mil habitantes e não dispõe reserva de água. Segundo a Emasa, o problema só deverá ser resolvido com a conclusão da barragem do rio Colônia, o que só deverá ocorrer em abril. Em função desta limitação o abastecimento da comunidade depende de chuvas regulares para eliminar o risco de novo racionamento.
Falta de água
Moradores da cidade de Itabuna, na região sul da Bahia, só recebiam água em casa a cada 20 dias, por conta da seca prolongada que atinge a região. O racionamento no município, uma medida da Empresa Municipal de Água e Saneamento (Emasa), começou a mais de um ano, e muitos moradores precisam recorrer a carros-pipa.
O racionamento ocorre, segundo a prefeitura, porque a falta de chuvas dificulta a captação de água nos rios Salgado, Colônia e no Almada, usados para abastecer a região. Em 2016, a cidade chegou a decretar situação de emergência devido à estiagem.

Enviar um comentário

0 Comentários

ANÚNCIE AQUI

ANÚNCIE AQUI

ANÚNCIE AQUI

#