Imprensa internacional noticia reforma ministerial de Bolsonaro

 




A reforma ministerial do governo Bolsonaro, feita na noite de segunda-feira (29) em meio às saídas de Ernesto Araújo do Ministério das Relações Exteriores e de Fernando Azevedo e Silva do Ministério da Defesa, foi noticiado em jornais e sites estrangeiros.


Em geral, as notícias destacam as mudanças em seis ministérios "em plena pandemia", a pressão política por algumas trocas — como o caso do Itamaraty — e as concessões feitas ao "Centrão".

BBC (Reino Unido)

A rede britânica BBC destaca que a troca ministerial "é a maior remodelação desde que Bolsonaro chegou ao poder, há dois anos" e que as substituições foram feitas "enquanto sua popularidade despenca por causa do tratamento da pandemia".

A reportagem lembra que "o serviço de saúde do Brasil está à beira de um colapso enquanto o país luta contra uma segunda onda mortal" e chama Bolsonaro de "presidente de extrema-direita".

'El País' (Espanha)

O jornal espanhol "El País" diz que "a demissão de dois ministro abre, em plena pandemia, a maior crise do governo Bolsonaro".


A reportagem cita que o presidente brasileiro trocou os titulares de seis pastas após as demissões de Ernesto Araújo do Itamaraty e de Fernando Azevedo e Silva da Defesa. "Uma das renúncias era esperada. A outra foi surpresa total".


O texto destaca que "a gestão da pandemia começa a afetar a política de Bolsonaro mais de um ano após os primeiros casos, embora mantenha o forte apoio de um terço do eleitorado brasileiro".

CNN (Estados Unidos)

A CNN diz em reportagem de seu site que a troca ministerial "parece destinada a garantir maior lealdade em meio à crise da Covid-19 no país" e destaca que o novo ministro da Justiça, delegado Anderson Torres, é amigo da família Bolsonaro.


O canal de TV americano também destaca a carta de Fernando Azevedo e Silva, em que diz ter "preservado as Forças Armadas como instituição do Estado", e o fato do ex-advogado geral da União (AGU) André Levi ter se recusado a assinar uma ação de Bolsonaro no STF para suspender medidas de restrição adotadas por três governadores.

Al Jazeera (Oriente Médio)

O canal de TV do Oriente Médio Al Jazeera destaca em seu site que Bolsonaro reorganizou seu gabinete "sob pressão da crise da Covid-19" e o presidente brasileiro "está enfrentando críticas generalizadas à medida que aumentam as mortes e infecções pelo coronavírus".


Bolsonaro é chamado de "líder de extrema-direita" e "cético da Covid-19 que rejeitou a necessidade de medidas de saúde pública para mitigar a propagação do vírus".

'Clarín' (Argentina)

O jornal argentino "Clarín" diz que Bolsonaro está "acuado pelo descontrole do coronavírus" e que o presidente brasileiro buscou "dar uma demonstração de autoridade com uma forte mudança em seu gabinete".


A reportagem destaca que "a ação de Bolsonaro surpreendeu o mundo militar" e que a saída de Ernesto Araújo do Itamaraty "foi reivindicada publicamente até pelo presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, e pela senadora Kátia Abreu, presidente da Comissão de Relações Exteriores da Casa.


Share on Google Plus

About Visão de Águia

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 Comments:

Publicar um comentário

Fale Conosco

Fale Conosco