Ibi Terra Santa

Grupo que intermediou vacinas procurou Bolsonaro, indicam mensagens em celular de policial

 


Mensagens no celular do policial que denunciou um suposto pedido de propina no Ministério da Saúde apontam que o grupo do qual ele faz parte procurou o presidente Jair Bolsonaro para tratar do negócio de compras de vacina AstraZeneca por meio da intermediária americana Davati.


A CPI da Covid no Senado tenta ouvir os envolvidos ainda esta semana.


O elo entre o grupo e o presidente seria o reverendo Amilton Gomes de Paula, que foi convocado a depor na CPI da Covid. O depoimento estava marcado para quarta-feira (14), mas ele apresentou um atestado médico que o impede de depor por 15 dias.


Nesta terça-feira (13), uma junta médica do Senado foi até a casa do reverendo para fazer uma perícia e confirmou os problemas de saúde.


Amilton se tornou alvo dos senadores após a revelação de que uma entidade comandada por ele teria participado de negociações de vacinas com o Ministério da Saúde.


A Secretaria Nacional de Assuntos Humanitários, a Senah, chegou a ser reconhecida pelo ministério em documentos como intermediária na negociação paralela por 400 milhões de doses da vacina AstraZeneca com a Davati, empresa americana localizada no Texas.


A AstraZeneca diz que negocia diretamente e apenas com governos, sem intermediários.

Enviar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem

Fale Conosco

Ibi Terra Santa