Ibi Terra Santa

Posse de Lula: o que pode acontecer se Bolsonaro se recusar a passar a faixa ao presidente eleito

 


Em 1º de janeiro acontece a cerimônia de posse na qual o petista Luiz Inácio Lula da Silva será oficializado presidente da República. Pela tradição, o rito inclui a passagem da faixa, instituída em 1910, mas que pode não acontecer caso Jair Bolsonaro se recuse a comparecer ao evento.


A última vez que isso aconteceu entre dois presidentes eleitos foi há mais de uma década, quando Lula passou a faixa para Dilma Rousseff, em janeiro de 2011. Reeleita em 2014, a Dilma sofreu um impeachment e, por isso, quem passou a faixa a Bolsonaro em janeiro de 2019 foi Michel Temer, vice eleito na chapa da petista.

"A transmissão da faixa simboliza duas coisas que o Bolsonaro abomina: a democracia e a alternância de poder", afirma o jornalista Bernardo Mello Franco em entrevista a Natuza Nery.

Segundo Mello Franco, as alternativas que a equipe de transição do cerimonial avalia estão "guardadas a sete chaves".

"Tem muito petista, por exemplo defendendo que a faixa seja entregue pela ex-presidente Dilma Rousseff. O que seria uma espécie aí de uma reparação histórica, considerando que ela não pode passar faixa para o sucessor, já que ela foi derrubada por um impeachment."


Outra possibilidade citada pelo jornalista é chamar representantes do povo brasileiro, como trabalhadores, indígenas, mulheres e negros.

"Até onde eu sei, não há um martelo batido. Eles primeiro querem saber se o Bolsonaro vai ou não vai. Em segundo lugar, caso Bolsonaro, de fato, não compareça, aí sim procurar uma espécie de uma cerimônia simbólica para marcar esse momento."

Enviar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem

Fale Conosco

Ibi Terra Santa