Brasil conquista quatro ouros em provas de atletismo e natação nos Jogos Paralímpicos

 


por Leandro Aragão

Brasil conquista quatro ouros em provas de atletismo e natação nos Jogos Paralímpicos
Petrúcio Ferreira | Foto: Wander Roberto / CPB

A sexta-feira (27) amanheceu dourada para o Brasil com a conquista de quatro medalhas de ouro nos Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020. Foram três no atletismo com Yeltsin Jacques, Silvânia Costa e Petrúcio Ferreira, enquanto Wendell Belarmino subiu no lugar mais alto pódio na natação.

Silvânia Costa | Foto: Wander Roberto / CPB

 

O primeiro a colocar a medalha mais cobiçada no peito foi Yeltsin Jacques nos 5.000m masculino T11, para cegos completando a prova com o tempo de 15min13s62. Depois, Silvânia Costa sagrou-se bicampeã olímpica no salto em distância T11, também para cegos. Após vencer na Rio-2016 apenas no sexto e último salto, desta vez, ela garantiu o primeiro lugar na quinta tentativa ao bater a marca de 5 metros. Já o paraibano Petrúcio Ferreira, que foi porta-bandeira do Brasil na cerimônia de abertura, também conquistou seu segundo título paralímpico nos 100m da classe T47, que é para corredores com deficiências nos membros superiores, com o tempo de 10s53, quebrando o recorde dos Jogos.

 

Enquanto na piscina, Wendell Belarmino brilhou nos 50m livre da classe S11, para deficientes visuais. Ele fechou a prova em primeiro com o tempo de 26s03.

Wendell Belarmino | Foto: Miriam Jeske / CPB

 

OUTRAS MEDALHAS
Além das medalhas de ouro, o Brasil também subiu nos demais lugares do pódio paralímpico. Na mesma prova de Petrúcio, Washington Júnior largou bem e terminou com o bronze com o tempo de 10s68, ficando atrás do polonês Michael Derus que fez 10s61. Já o terceiro brazuca na disputa, Lucas Lima, acabou no sexto lugar com 11s14.

Foto: Wander Roberto / CPB

 

Outros brasileiros também fizeram bonito na natação. Gabriel Bandeira, que havia conquistado o primeiro ouro do país em Tóquio, ficou com a prata nos 200m livre da classe S14, para atletas com deficiência intelectual, ao marcar o tempo de 1min52s74, ficando atrás do britânico Reece Dunn, que cravou 1min52s40. Entre as mulheres, Maria Carolina Santiago levou o bronze nos 100m costas da classe S12, para competidores com deficiência visual, ao fechar a disputa em 1min09s18. A britânica Hannah Russell ficou com o ouro ao fazer em 1min08s44, e a prata foi para a russa Daria Pikalova com 1min08s76.

Share on Google Plus

About Visão de Águia

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 Comments:

Enviar um comentário

Fale Conosco

Fale Conosco